…total suspensão…

copio aqui o comunicado postado hoje por todos os locatários da fábrica:

COMUNICADO

Alguns esclarecimentos sobre a atual situação da Antiga Fabrica da Bhering, depois desta série de reviravoltas e urgentes demandas das últimas semanas.

Por enquanto, nada está definido. O decreto da prefeitura ainda não foi concretizado. Ele apenas indica a intenção da prefeitura de manter-nos no prédio, uma vez que as atividades realizadas no local estariam em consonância com os interesses do projeto oficial para a revitalização do porto, pois somos uma das manifestações culturais espontâneas da região, assim como os Filhos de Gandhi, Vizinha Faladeira, Filhos de Talma, entre outros.

Além do decreto de desapropriação, houve também um tombamento temporário, que neste caso indicaria a intenção da prefeitura na manutenção do próprio edifício, devido à importância arquitetônica e histórica desta construção industrial do início do século passado.

Apesar dos dois decretos, a nossa permanência só será garantida quando a prefeitura efetivar a desapropriação. Não sabemos quanto tempo isso pode levar e ainda esperamos um encontro com a prefeitura para termos maiores informações.

Também não temos autonomia para a administrar o prédio. Estamos pagando os alugueis em juízo e o antigo proprietário continua sendo o administrador. Assim, a situação atual é indefinida e confusa, pois este limbo administrativo coloca em risco o normal funcionamento das instalações.

Estamos diante de um longo processo de reestruturação interna. Estamos nos organizando e preparando diretrizes para propor um modelo de auto-gestão inédito na cidade, que contaria com parcerias públicas e privadas, a fim de promover inúmeras atividades abertas à cidade, assim como a continuação das atividades que já realizamos há mais de dois anos no local.

Estamos felizes em perceber como este caso colabora para uma discussão da sociedade sobre os desejos para a cidade, para a cultura e para a região portuária.

Gostaríamos de agradecer todas as manifestações de apoio, a repercussão deste caso foi decisiva para a suspensão da ordem de desocupação. Assim que pudermos, postaremos mais notícias.

Os Locatários

Segue abaixo um pequeno histórico dos acontecimentos recentes da Antiga Fábrica da Bhering:

– A fábrica foi desativada na década de 90.
– A família Barreto, antiga proprietária da fábrica, começa a alugar lotes para empresas e espaços para locações de cinema e televisão.
– Em 2005, eles alugam uma área para o primeiro ateliê de arte.
– A partir de 2010, há uma crescimento espontâneo de ateliês alugados por artistas e pequenas empresas na fábrica.
– Em 2011, o edifício é leiloado por suposto não pagamento das dívidas e então arrematado pela SYN-Brasil. Os locatários não tinham conhecimento deste leilão até o mês passado.
– Vários novos contratos de aluguel foram fechados, mesmo após a venda.
– Em julho de 2012, os 72 locatários recebem com surpresa uma intimação judicial para desocupação da fábrica em 30 dias.
– Uma semana depois, a prefeitura decreta que o prédio é de utilidade pública para fins de desapropriação e também seu tombamento provisório.
– Enquanto a questão se mantém indefinida, a justiça suspende temporariamente a desocupação do prédio.